O que é, quem deve fazê-lo e porque é importante

Como um estágio pode ajudar no seu crescimento profissional
27 de abril de 2018
Qual a diferença entre semipresencial e EAD?
18 de maio de 2018

Estudar menos do que deveria no Ensino Médio (e até Fundamental) e repetir de ano tantas vezes, que a pessoa torna-se uma adulta, mas ainda não saiu da escola: eis o motivo para existir o Supletivo.

Nele, o aluno pode cursar todas as séries que faltam no ensino básico, ou seja, da 1ª a 9ª série, no caso do Ensino Fundamental, e do 1º ao 3º ano, no caso do Ensino Médio, em apenas um determinado período de tempo – bem menor do que o habitual.

Conheça todas as possibilidades possíveis de se fazer um Supletivo e porque, apesar da menor duração, ele é útil para quem o faz.

Supletivo presencial

O Supletivo mais comum que existe é o de ensino presencial de todas as séries faltantes ao aluno, em um espaço de tempo bem menor do que ele teria de dispor.

As aulas precisam ser frequentadas pessoalmente pelos alunos e acontecem geralmente em escolas especializadas nisso – apesar de alguns colégios, privados e públicos, também disponibilizarem Supletivos.

O tempo de estudo pode variar, mas os mais comuns duram, no mínimo, de seis meses a um ano, dependendo da quantidade de conteúdo que o aluno precisa estudar para sua formação de educação básica.

Supletivo à distância

A Internet e a maior difusão do EAD (Ensino à Distância) facilitam a vida daqueles que recorrem ao Supletivo.

A possibilidade de estudar sem a necessidade de ir até uma escola física existe há muito tempo.  Hoje, há opções de cursos online que tornam essa etapa ainda mais cômoda.

Público dos Supletivos

Mesmo com a melhora dos indicadores sociais, que mostram, ano após ano, que a taxa de analfabetismo e de jovens fora da escola vem caindo, ao mesmo tempo em que há ascensão econômica das classes mais baixas, o público que cursa Supletivos ainda é majoritariamente formado por este contingente de pessoas.

A principal explicação para isso está ligadas à falta de investimentos do Estado em educação, o que prejudica cidadãos de menor renda, que dependem dos serviços públicos.

Entretanto, há muitos jovens com histórico de problemas comportamentais ou familiares, que abandonam a escola e acabam procurando um Supletivo para terminar o estudo básico e outros que, por desinteresse ou falta de incentivo, seguem o mesmo caminho.

Porque é importante concluir o ensino básico

O ensino básico, conforme o próprio nome diz, nos faz conhecedores de conteúdos importantes para nossa vida em sociedade, algo fundamental para qualquer pessoa. É ele que nos dá o suporte para que nos aprofundemos em algum tema no ensino superior e tenhamos uma profissão que nos permita ganhos maiores e consistentes.

Além disso, é essencial ter esses conhecimentos para ter autonomia enquanto cidadão, interpretando os acontecimentos ao seu redor e como lidar com eles.

O que fazer depois de concluir um Supletivo

O aluno que conclui o ensino básico por meio de um Supletivo está apto a fazer uma graduação superior, tendo a possibilidade de se tornar um profissional e pleitear empregos melhores.

Na prática, ressaltamos, o Supletivo representa o ensino de todas as séries faltantes na vida escolar de uma pessoa. Atualmente são 12 os anos que alguém precisa concluir para completar tal etapa (nove anos do Ensino Fundamental e três do Médio).

Mesmo aqueles que almejam seguir carreira no serviço público necessitam dessa formação, uma vez que são oferecidas vagas que exigem no mínimo ensino médio dos candidatos – que ainda têm a chance de crescer profissionalmente dentro do próprio órgão.

A condição vale também para quem almeja um curso técnico ou profissionalizante, para trabalhar na indústria pesada ou de transformação, ou com serviços. O interessado nessa possibilidade precisa ter, pelo menos, completado o Ensino Fundamental.

É obrigatório terminar o ensino básico para trabalhar?

Sim, é obrigatório, pois mesmo as vagas que demandam tarefas mais simples, vão exigir do trabalhador alguns conhecimentos que o ensino básico fornece (fazer pequenos cálculos, interpretar textos, etc.).

Além disso, muitas empresas hoje pedem dos candidatos pelo menos a conclusão do Ensino Fundamental para darem uma oportunidade de trabalho.

Sem nenhuma das hipóteses relatadas ao longo do artigo, resta ao cidadão se dedicar à informalidade, que não garante nenhum retorno financeiro e benefícios trabalhistas, além de colocá-lo em risco por infringir alguma lei, principalmente fiscal.

Dúvidas? Pergunte!

Se você quer subir na vida, não há outra escolha além de se qualificar muito para isso. Estudar ao longo de toda a sua trajetória faz parte, não tem outro caminho.

O Supletivo é a última opção para quem faz questão de chegar longe e, apesar de ele ser recomendado apenas em casos extremos, é melhor fazê-lo e terminar o ensino básico, do que sequer ter a chance de sonhar alto.

Caso tenha ficado alguma dúvida ou haja algum tópico que você gostaria que tivéssemos explorado mais, fique à vontade para se expressar nos comentários, ao final da página.

Fonte: http://subanavida.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *